top of page
  • Equipe de Redação

O papel do voluntariado na redução da desigualdade

Atualizado: 21 de out. de 2022

As pessoas possuem diferentes formas de impactar positivamente comunidades socialmente vulneráveis, atuando em diferentes segmentos.

diversidade de pessoas étnicas em grupo (um casal negro, uma mulher asiática, uma mulher latina e um casal branco)

A desigualdade de renda é um problema global e requer soluções que também sejam globais. O aumento das disparidades exige a adoção de políticas para empoderar a camada mais afetada e promover a inclusão econômica de todas e todos, independente de sexo, religião e etnia.


Isso envolve melhorar a regulação e monitorar os mercados financeiros e as instituições, encorajando a assistência ao desenvolvimento e ao investimento internacional direto em regiões mais necessitadas. Facilitar a migração segura e a mobilidade de pessoas também é chave para diminuir as desigualdades.


Apesar de não ser um fenômeno novo, a desigualdade social é um problema que vem avançando pelo mundo. Diminuir a distância entre as pessoas mais ricas e as mais pobres é crucial quando nos propomos a criar um mundo mais justo e igualitário, em que todas as pessoas possam ter as mesmas oportunidades. Por isso, a redução das desigualdades é o décimo item da lista dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas.


ODS da Organização das Nações Unidas (ONU). Foco na redução das desigualdades
Reprodução: Nações Unidas Brasil

A crise sanitária deixou a disparidade entre as pessoas mais ricas e mais pobres ainda mais evidente e aprofundou a concentração de renda pelo globo.


Um dos maiores desafios para acabar com as desigualdades pelo mundo é o seu caráter cíclico, que se retroalimenta: com poucas pessoas concentrando grande parte do capital, as camadas mais pobres se tornam dependentes dos ricos para conseguirem uma forma de subsistência. Assim, trabalham de forma a gerar ainda mais riquezas para essas pessoas e o abismo entre as classes se mantém, com poucas possibilidades reais de mobilidade social.


Voluntariado e Cidadania


Para entender melhor o papel do voluntariado é necessário compreender o conceito de cidadania. A cidadania é o conjunto de direitos e deveres que um cidadão possui perante a lei. E esse conceito amplo, relaciona-se especialmente à nossa responsabilidade individual de assumir nosso papel de agente de construção e transformação da sociedade em que vivemos.


Assim, uma das melhores maneiras de despertar o senso de cidadania nas pessoas é por meio do trabalho voluntário que, atrelado às políticas públicas e à educação, é um importante pilar para a redução da desigualdade social e do aumento na qualidade de vida para todos.


Ou seja, quando há um trabalho para melhorar a vida de uma parcela da população que é mais vulnerável, a vida de todo o restante fica melhor. E a ideia de voluntariado, tem tudo a ver com essa filosofia: no fim, quem ajuda sempre cresce junto.


Para ser um cidadão, que é parte da solução para as mazelas sociais, é preciso se manter informado, entender o papel das instituições, fiscalizar os responsáveis e ajudar na disseminação de conteúdos de qualidade para que cada vez mais pessoas também entendam o seu papel.


Como o voluntariado pode ajudar?


Pensando nisso, separamos algumas dicas que podemos incorporar no dia a dia para colaborar para diminuir das desigualdades e exercer nosso papel de cidadão:


1) Estar sempre informado


Num primeiro momento esta ação pode até parecer clichê, rasa ou até mesmo indiferente, ainda mais colocá-la como a primeira da lista. Porém, na verdade, não é. Sabemos que o conhecimento é o que mais incomoda a quem quer nos manipular com dados distorcidos, estudos falsos, fake news e outras estratégias.


Por isso, faz diferença que todo mundo esteja informado sobre os fatos, especialmente no nosso país, pois são eles que fazem parte da nossa realidade. E só somos capazes de melhorar ou mudar uma realidade se tivermos conhecimento dela, incluindo o que poderia ser feito para reduzir a desigualdade social no Brasil.


Então, sempre busque veículos de informação confiáveis e que possuam autoridade. A transparência é fator crucial, portanto verifique quem são as fontes mencionadas, a apuração do conteúdo e se o veículo está apenas informando e não sendo tendencioso.


2) Conscientização sobre consumo


Somos consumidores. Escolhemos o quê e onde comprar nossos alimentos. Escolhemos o que vamos vestir, quais são os produtos essenciais para a nossa higiene e outros consumos do cotidiano.


Como consumidores, temos muito poder. Assim, diante dessas escolhas diárias, que tal conscientizar os seus colaboradores para que comprem dos pequenos negócios e, assim, eles se fortaleçam? Com isso, a economia tende a ser mais descentralizada das mãos de poucos e as pessoas podem ter mais oportunidades.


3) Promover estudos sobre as políticas públicas


Estar a par das propostas políticas e acompanhar os candidatos às eleições faz parte do nosso papel como cidadãos. Além disso, conhecer os direitos e deveres auxilia o cidadão a tratar o problema da desigualdade, uma vez que ele estará munido de conhecimento.


Na sua empresa, você pode distribuir materiais de conscientização sobre o tema e até mesmo palestras e dinâmicas para reforçar o poder que cada um tem. Amparados pela Constituição, é possível entender a existência dos problemas e buscar soluções para eles.


4) Apostar mais em negócios sociais


Este tópico é mais voltado para o âmbito profissional, que pode servir tanto para investidores de impacto quanto para empreendedores. Que tal levar para a sua corporação mais pautas ligadas à igualdade social? Além de tudo, apoiá-las.


Os projetos de equidade de gênero e os das questões ambientais são ótimas temáticas para serem tratadas também. Se for abrir um negócio, olhe para as necessidades da sociedade ao redor e busque uma oportunidade no que não está sendo feito.


Sempre repensar


Essas são algumas das várias ações possíveis de serem feitas! Repensar a forma que a sua empresa existe pode ser o ponto de partida para mudanças acontecerem e repercutirem a longo prazo. E uma ação não precisa ser grande para ser eficaz. O voluntariado empresarial atua dentro da realidade do negócio, sempre se adaptando e se remoldando.


Veja também:



bottom of page